Criar TAGS de identificação em fotos no Google Fotos

Olá.

Em tempos de celular com câmera quase que fazendo parte do corpo das pessoas, que não largam o apetrecho de modo algum, tirar fotos de tudo, em todo lugar se tornou um hábito tanto quanto um problema. As câmeras embutidas nos celulares possuem capacidade cada vez maior de tirar fotos com altíssima qualidade, e isso quer dizer que arquivos de imagem cada vez maiores serão criados, o que automaticamente cria a necessidade por espaço em disco em escala infinita, pois que graça tem tirar uma foto, e depois ter que apagá-la para tirar outra?

Esse fato criou uma demanda por armazenamento que gerou duas soluções básicas: Cartões de memória ou celulares com mais capacidade de armazenamento interno, ou armazenamento em nuvem, com serviços muito eficientes que ajudam a eternizar nossos momentos registrados em foto, permanentemente.

São vários os serviços disponíveis. Alguns pagos, outros gratuitos, uns com mais recursos e outros com menos.

O segredo do sucesso está justamente em saber utilizar, e escolher o serviço que melhor atenda suas necessidades. Neste artigo, falarei sobre o Google Fotos, que possui as versões gratuita e paga.

Aqui cabe um comentário pessoal, a respeito da lógica de negócio de empresas como o Google. Dificil para pessoas comuns, entender o que levou a gigante da tecnologia a incluir alguns recursos na versão gratuita que não estão disponíveis na versão paga.

É, eu não escrevi errado ou invertido.

O Google Fotos é uma ótima ferramenta para armazenamento de fotos e um serviço incrível quando os quesitos avaliados são disponibilidade, acesso, segurança e distribuição.

Porém, e sempre irá existir um porém, há um inconveniente que considerando o Google como fornecedor, não posso descrever como falha. Como eu mencionei em meu comentário, é muito difícil entender a lógica de negócio de algumas empresas, mas o fato, é que utilizando o serviço do Google, não vai demorar para perceber que encontrar fotos através da pesquisa pode ser um problema. O que acontece, é que o Google não permite indexar as fotos através de tags ou palavras chave, que ajudariam a organizar o conteúdo e facilitar as buscas.

Eu vasculhei a internet e por mais de uma vez, encontrei comentários de funcionários do próprio Google, classificando esta ausência de funcionalidade como uma “infelicidade”, reforçando inclusive a prerrogativa de não haver planos futuros para se mudar isso.

Particularmente, eu gosto de utilizar as ferramentas do Google e pretendo publicar muito das minhas experiências aqui, nesse espaço, mas este inconveniente (lembra que eu não posso chamar de erro, falha, problema ou qualquer coisa do tipo porque estou falando do Google e não de uma empresinha qualquer!?), me deixou bem desanimado em usar o serviço de fotos do Google.

Pelo menos até esse momento! 🙂

Fiz uma descoberta daquelas que mudam a vida das pessoas!!!

Tá, não é pra tanto…

Mas é legal, e apesar de confuso, me fez querer compartilhar.

É o seguinte: O Google também tem como ferramenta disponível em seu pacote entregue com o GMail, o Google Drive. Este sim, impecável, incrível, sensacional e tudo de bom. Você pode armazenar arquivos de qualquer formato em um espaço de 15GB gratuitos que podem ser incrementados em 100GB conforme a necessidade por pagamentos mensais recorrentes e eternos pela bagatela de R$6,99 na data de hoje (10/05/2018).

No entanto, vamos nos ater ao que é possível fazer com o pacote gratuito.

No Google Drive é possível se beneficiar das Tags como recurso de indexação para agrupar arquivos, pastas e … sim, FOTOS!

Parto do princípio de que você já tem uma conta Google. Por favor, faça login caso ainda não o tenha feito. Em seu catálogo de aplicativos, do lado superior direito, acesse o Google Drive.

Acesse as configurações, também do lado direito superior e clique em Configurações.

Na tela apresentada, marque a opção “Criar uma pasta para o Google Fotos”.

Pronto!

O que acontece agora?

O Google vai criar uma pasta, vinculando todas as suas fotos e permitindo que se inclua Tags, como um arquivo do próprio Drive.

Depois disso, o arquivo fica disponível para busca e pode ser agrupado de formas diferentes.

Nem tudo são flores. Entender como cada ferramenta funciona pode tornar nosso tempo muito mais produtivo, podemos fazer mais e melhor. Depois de um tempo, tudo torna-se rotina e passa a funcionar como se nunca tivesse existido uma outra forma.

Aproveite.